NFT PELA ARTE DIGITAL

MORITZ NETO CRIA PLATAFORMA PARA CONECTAR ARTISTAS AO UNIVERSO BLOCKCHAIN

Um dos primeiros clientes que acreditou na minha estratégia de comunicação acaba de divulgar sua plataforma de venda de arte por NFT. Moritz Neto, um jovem empresário de 27 anos, de Floripa, é um visionário. Desde muito cedo entendeu o espírito do que é ser empreendedor e foi buscar conhecimento e inspiração na Austrália. Em poucos anos desenvolveu projetos audaciosos e, claro, se conectou com o universo do blockchain que estava nascendo. Um terreno novo, pouco explorado e cheio de riscos. A empreitada rendeu grandes contatos, experiências que o levaram a Stanford e um mentor chinês que o apoia em novas investidas.

De volta ao Brasil, desenvolveu estratégias de e-commerce para um setor que só cresce no país, o de produtos de beleza. Democratizou com a importação de apliques de cabelo, em dezenas de tonalidades, para agradar ao público nacional, surgia a Bela Belinda. Depois, com a PinkPerfect, criou máscaras para pele inspiradas nas argilas cor de rosa que conheceu na Austrália, e decidiu que os produtos seriam todos feitos em Santa Catarina, levando para a linha de cosméticos veganos um pouco da vibe local.

Agora lança a DropGen, uma plataforma ainda em beta, para a venda de arte por NFT (token não fungível), e atrai artistas e investidores para uma grande venda non-stop de obras de arte. Um dos grandes beneficiados dessa nova possibilidade é o artista Alex Solis, que arrebatou R$ 12 milhões ao vender 10 mil obras em apenas uma noite!

Sobre esse assunto, Moritz falou à coluna Capital, de O Globo, e contou mais sobre como a plataforma funciona e o que pode acrescentar nesse mercado.

Parabéns, Moritz! Sigamos inovando!

MINHAS AULAS COMEÇAM EM NOVEMBRO

TIRE SEU PROJETO DO PAPEL – JORNALISMO E ANÁLISE NO FUTEBOL

Pensamos um supercurso para quem quer fazer carreira falando, escrevendo e analisando o futebol!

A minha parte fecha o curso com o propósito de ajudar os alunos a tirarem seus projetos do papel. Vou falar de planejamento, propósito, formas e conteúdos para se diferenciar e conquistar audiência.

Mais informações aqui na Sport Science Academy https://sportscienceacademy.com.br/jornalismo-e-analise-no-futebol-aplicado-a-novas-midias/

MARCA PESSOAL

PENSE EM VOCÊ COMO UMA EMPRESA E NUNCA MAIS TENHA MEDO DO DESEMPREGO
Carvalhando e Grimberg

De tempos em tempos, como que por milagre, esbarro com algumas coisas que têm o poder de transformar a minha vida. Foi assim há três semanas quando descobri de verdade o que o @carvalhando fazia e não pensei duas vezes em me inscrever para o curso de Marca Pessoal, lindamente desenhado por ele e pelo @jorgegrimberg, que até então eu nem conhecia (inacreditável não te conhecer! já coloquei seu vídeo em todos os materiais de clientes!). Hoje tivemos a última de quatro aulas, e em cada uma delas fui fazendo anotações estratégicas que ao mesmo tempo que expandiam meu horizonte de carreira também me ajudavam a filtrar e definir caminhos. Foi incrível. Um exercício valioso de auto descoberta e trocas. E o mais acertado de ter sido com os dois esse curso é que sempre, por uma questão mais pessoal do que profissional, tive enorme paixão por arte, arquitetura, moda e design. Expresso um pouco isso na @cabana_bacana – a casa mesmo e não no Instagram. Então muito obrigada @carvalhando e @jorgegrimberg por terem acrescentado tanto e me lembrado de como algumas coisas são tão
importantes para mim.

MUITO PRAZER,

Selfie no espelho do bar #quemnunca

Eu me chamo Ana Lúcia Araújo e, confesso, estava aqui lembrando como era, mais de 20 anos atrás, quando começávamos uma página na web. Ali a um clique do mouse podíamos criar uma nova identidade, um avatar, podíamos ser o melhor de nós mesmos. Mudou muito? Só in-ten-si-fi-cou.

Escrevi “a um clique do mouse” em 1996, no Caderno de Empregos, da Folha, para explicar sobre o que era ser webmaster e webdesigner, uma coisa bem século passado. Fiquei com aquela sensação de “ihhhh essa expressão vai pegar”. Pegou, pegou tanto, que nem vale mais a pena usar, a não ser para contextualizações históricas, claro.

Mas, aqui, sem mouse, a poucos toques de começar tudo de novo, vou me apresentar como sou hoje. Sou a última versão da Ana Lúcia Araújo que nasceu lá em abril de 1974, quando o Sol passava por Áries, exatamente ao meio-dia, em plena Sexta-Feira Santa. Era feriado. Era véspera de Páscoa, aquela conexão toda com morrer e ressuscitar. Pois ali, naquela primeira versão dessa minha vida, o tempo certamente era outro, offline, apegado a costumes e tradições que não sinto a menor saudade.

Aliás, essa sou eu em todas as versões, com zero saudosismo do passado. Eu sempre gostei de olhar para frente, carregando no coração os que amo e tentando ter companhias ao meu lado para seguir em frente. O futuro, a próxima inovação, o que tem de novo no cardápio, a nova tendência e a Bossa Nova sempre me ganharam. Tom Jobim dizia que o segredo para fazer sucesso no Brasil era escrever novo, por isso a Bossa é Nova. Posso ser a Ananova. Aliás Ananova foi o primeiro serviço de notícias pela internet, meio um broadcast. A Ana em questão virou até uma assistente pessoal do serviço, tem uns anos já isso.

E o que eu faço nessa minha nova versão? Eu sou uma mulher, adulta, que às vezes, como agora em que escrevo esse texto, pareço que estou falando de uma outra pessoa e não de mim mesma. Essa Ana aqui já passou por muitas histórias. Mas sigo carregando a alegria de ser mãe do João, de poder trabalhar com o que mais amo que é a comunicação e ter aos 47 anos de idade uma vontade sem fim de começar novos projetos. Eu amo um projeto novo. Tipo começo de namoro (bom, né?). E hoje tenho uns 768 em andamento. Alguns bem reais. Outros muito surreais.

Reorganizar esse espaço virtual pessoal é uma maneira de organizar minhas caixinhas internas e colocar todos esses projetos a um toque de quem pode se conectar com eles.

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑